uma carteira de trabalho e várias cédulas de dinheiro em cima de uma mesa

Quem tem direito a 5 parcelas de seguro?

Se você foi dispensado do seu emprego sem ter cometido falta grave que leve à demissão por justa causa, pode ter o direito de acesso ao seguro-desemprego. Estamos falando de um dos mais importantes direitos trabalhistas do nosso país, estabelecido com o propósito de fornecer suporte financeiro a trabalhadores que se encontram desempregados.

É dever de todo trabalhador estar bem informado sobre seus direitos. A reforma trabalhista de 2017 trouxe consigo mudanças substanciais, provocando impactos diversos nas relações de trabalho.

O seguro-desemprego não ficou livre disso, e também passou por alterações significativas em seus requisitos e definições.

A conscientização sobre os direitos trabalhistas serve para fortalecer sua posição no mercado de trabalho, ressaltando a importância da proteção social no ambiente laboral.

Ao compreender os requisitos necessários para solicitar esse benefício, você tem a chance de passar por uma transição mais tranquila em circunstâncias de instabilidade, tal qual a demissão de um emprego.

Levando em consideração a importância desse benefício enquanto direito, preparamos o artigo a seguir, por meio do qual você poderá sanar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Confira a seguir como o seguro-desemprego funciona, quem pode ter acesso a ele, o valor e a quantidade de parcelas a qual o trabalhador tem direito e muito mais. 

Como funciona o seguro-desemprego?

O seguro-desemprego constitui um direito destinado a proporcionar assistência financeira temporária a trabalhadores formais dispensados involuntariamente, exceto em casos de demissão por justa causa.

uma mulher com uma carteira de trabalho e várias cédulas de dinheiro na mão

Essa prerrogativa é especialmente direcionada aos empregados com contrato formal, cujo vínculo empregatício é rescindido de maneira inesperada, desde que não tenham contribuído culposamente para o término da relação laboral.

Trata-se de uma contribuição da Seguridade Social que visa prover suporte econômico por um período determinado para custear as despesas básicas do trabalhador e de sua família enquanto este busca nova colocação no mercado de trabalho.

Esse apoio é disponibilizado de forma parcelada, e o valor e a quantidade de parcelas varia de acordo com alguns critérios. Originado do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), o seguro-desemprego é disponibilizado pela Previdência Social e suas parcelas são retiradas nas agências da Caixa Econômica Federal.

É importante saber que, recentemente, ocorreram algumas alterações significativas nas normativas desse direito. Independente do cenário econômico atual, é de suma importância compreender como esse benefício pode ser adquirido.

A legislação inicial (Lei n° 7.998 de 11 de janeiro de 1990) foi posteriormente modificada pela reforma trabalhista (Lei n.º 13.134 de 16 de junho de 2015), que estabelece quem tem direito ao benefício, e aspectos como a quantidade, o valor e os prazos de pagamento das parcelas.

O Ministério do Trabalho e Previdência determina o número de parcelas e seus valores, concedendo ao trabalhador, que preenche os requisitos, o direito a receber de três a cinco parcelas, dependendo do tempo de trabalho prévio à dispensa. 

Apesar de ser um direito legal para profissionais dispensados sem justa causa, é preciso estar atento às normas estabelecidas pelo governo para garantir o acesso efetivo a esse benefício. Saiba mais detalhes a seguir! 

Quem pode solicitar o seguro-desemprego? 

O seguro-desemprego destina-se a amparar profissionais dispensados sem justa causa, sem fonte de renda suficiente para sua subsistência e a de sua família. Isso inclui aqueles que receberam salários de pessoa jurídica ou física por um período específico.

Há algumas categorias específicas de trabalhadores que podem solicitar o seguro-desemprego, incluindo:

  • Trabalhadores formais e domésticos demitidos sem justa causa, abrangendo também a dispensa indireta, na qual o empregado toma a iniciativa de romper o vínculo com o empregador;
  • Trabalhadores formais com contrato suspenso para participar de cursos ou programas de qualificação profissional oferecidos pelo empregador;
  • Pescadores profissionais durante o período do defeso (quando a pesca é proibida como iniciativa para preservar os animais);
  • Trabalhadores resgatados de condições análogas à escravidão.
duas pessoas sendo atendidas para solicitar seguro desemprego

Para usufruir desse direito, é necessário que o trabalhador não esteja recebendo nenhum benefício previdenciário de prestação continuada pago pela Previdência Social. As únicas exceções a isso são os beneficiários contemplados com o auxílio-acidente, auxílio suplementar e abono de permanência em serviço, conforme o que consta na Lei nº 6.367/76.

Agora que você já compreende como funciona o seguro-desemprego e quem pode ter acesso a esse direito, veja nos próximos tópicos algumas informações que possivelmente são de seu interesse, como o valor e a quantidade de parcelas a qual você pode ter acesso. 

Quantas parcelas do seguro-desemprego tenho direito?

Antes de descobrir a quantidade de parcelas a que você pode ter direito, é preciso saber que o período mínimo de vínculo empregatício para fazer a solicitação varia de acordo com o histórico de solicitações anteriores ao seguro-desemprego. 

Isso é mais simples do que parece. Funciona da seguinte forma: 

  • Se você estiver solicitando o seguro-desemprego pela primeira vez, é preciso que tenha acumulado pelo menos 12 meses de trabalho nos últimos 18 meses que antecedem a dispensa;
  • Se for a segunda vez que solicita o direito, o trabalhador deve ter completado, no mínimo, 9 meses de emprego nos últimos 12 meses antes da requisição;
  • A partir da terceira solicitação, é preciso comprovar uma relação laboral de, no mínimo, 6 meses antes da dispensa. 

De modo geral, o trabalhador tem direito a uma quantidade que varia de 3 a 5 parcelas, o que depende do tempo trabalhado. Os critérios são os seguintes: 

  • Se você tiver trabalhado por pelo menos 6 meses, tem direito a 3 parcelas;
  • Se tiver trabalhado por, no mínimo, 12 meses, tem direito a 4 parcelas;
  • Se tiver trabalhado 24 meses ou mais, tem direito a 5 parcelas.

Outra informação que você provavelmente gostaria de saber é sobre o valor das parcelas, não é mesmo? Dedicamos um tópico para falar exclusivamente disso, confira:

E o valor das parcelas do benefício? 

O cálculo referente ao valor da parcela do seguro-desemprego é feito, basicamente, com base na média dos salários recebidos nos últimos 3 meses anteriores à data da demissão. Essa conta deve incluir o salário-base e, se houver, outras parcelas recebidas com título de horas extras, adicional noturno, adicional de insalubridade e de periculosidade.

Outros benefícios presentes na remuneração (como vale-transporte e vale-alimentação) não devem ser considerados para realizar esse cálculo.

Sendo assim, o valor do benefício pode variar de acordo com essa média e com a categoria do trabalhador. Veja a seguir como é feito esse cálculo:

  1. O primeiro passo é calcular a média dos três últimos salários, somando os valores e dividindo por 3. Se o colaborador recebeu, por exemplo R$ 2.000,00, R$ 2.100,00 e R$ 2.250,00 nos últimos 3 meses trabalhados antes de receber a dispensa, a média seria de R$ 2.116,70 reais.  
  2. Em seguida, você deve consultar a tabela de valores do seguro-desemprego, que é atualizada anualmente. Lá, você encontrará o valor da parcela correspondente à média de salários e à categoria do trabalhador. Essas tabelas são divulgadas todo mês de janeiro.
  3. Depois, é preciso aplicar a fórmula de cálculo, que é a seguinte: Valor da Parcela = (Média dos últimos três salários) x (Percentual correspondente na tabela).

Seguindo esses passos, você chegará ao valor que tem direito para a parcela do seu seguro-desemprego. Vale lembrar que esse valor não pode ser inferior ao salário-mínimo vigente, que atualmente é de R$ 1.412.

Como as taxas e limites são atualizados anualmente e podem variar conforme a legislação trabalhista vigente, é de suma importância consultar a tabela oficial de valores e as regras específicas no momento que será feito o requerimento do seguro-desemprego.

carteira de trabalho e várias cédulas de dinheiro nas mãos de uma pessoa

O desemprego é um período no qual momentos de insegurança podem surgir. Nesse sentido, ainda bem que existe esse benefício como forma de proporcionar apoio financeiro ao trabalhador durante o tempo em que se encontra desempregado. 

Enquanto isso, vale a pena se dedicar a alguns cursos que sirvam para complementar e fortalecer o seu currículo. Isso serve não apenas para fortalecer sua base de conhecimentos e habilidades, mas também para lhe conferir destaque em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

A atualização constante e a aquisição de novas competências são aspectos que demonstram a proatividade e o comprometimento do trabalhador com o aprimoramento pessoal e profissional, tornando-o mais adaptável às demandas e exigências do mercado de trabalho.

Na plataforma Prime Cursos, estão disponíveis diversas oportunidades de aprendizado abrangendo uma ampla gama de áreas, que incluem informática, vendas, administração e recursos humanos, entre muitas outras.

Explore nosso extenso catálogo de cursos, onde você encontrará todas as opções disponíveis. Aproveite este momento para expandir seus conhecimentos e fortalecer sua trajetória profissional.

Cursos para conseguir um novo emprego

Cursos podem qualificar uma pessoa para conseguir um novo emprego ao fornecer conhecimento, habilidades e certificações relevantes para a área desejada, demonstrando um compromisso com o aprendizado contínuo e ampliando sua rede profissional. Isso torna os candidatos mais atraentes para os empregadores, aumentando suas chances de sucesso no mercado de trabalho.

Na Prime você encontra Cursos Gratuitos com Certificado de Conclusão válido para: atividades extracurriculares, avaliações de empresas, provas de títulos, concursos públicos, enriquecer o seu currículo e muito mais!


Stories

Posts Recentes

  • Quantas horas tem a jornada de trabalho de uma recepcionista?
    A jornada de trabalho de um recepcionista é um aspecto fundamental que define tanto a dinâmica de seu cotidiano profissional quanto a qualidade de sua vida pessoal. Em diversas indústrias, a carga horária desses profissionais pode variar significativamente, influenciada por fatores como legislação trabalhista, demandas diárias e políticas internas das empresas. Neste texto, exploraremos detalhadamente…
  • Quanto ganha uma recepcionista: Salário médio e fatores que influenciam
    Uma das perguntas mais comuns que as pessoas fazem quando consideram entrar na profissão de recepcionista é “Quanto ganha uma recepcionista?” É uma pergunta importante, já que o salário é um fator chave na decisão de escolher uma profissão. A resposta para essa pergunta depende de vários fatores, como localização, experiência e habilidades específicas. De…
  • O que é necessário para ser recepcionista: qualificações e requisitos
    Para ser um recepcionista de sucesso, é necessário ter diversos requisitos e características. Além de ser capaz de lidar com pessoas e ter uma boa comunicação, é importante ter organização, capacidade de multitarefa e conhecimento em informática. O recepcionista é a primeira pessoa que os clientes ou visitantes encontram quando chegam a uma empresa ou…
  • O que é e como funciona o código Q?
    O Código Q é um conjunto padronizado de três letras que é usado para fazer perguntas pré-definidas em comunicações de rádio. Ele pode ser utilizado por porteiros, vigilantes e controladores de acesso para a comunicação dentro das dependências do local de trabalho. Ele também é amplamente utilizado por militares, polícia, serviços de emergência, aviação e…
  • Como funciona uma jornada de trabalho de 12×36: regras e direitos
    Uma jornada de trabalho de 12×36 é um modelo de trabalho que permite ao colaborador trabalhar por 12 horas seguidas e descansar nas próximas 36 horas. Essa jornada é comum em setores que necessitam de operação contínua, como saúde e segurança. Nesse modelo de trabalho, o colaborador trabalha por 12 horas seguidas, com um intervalo…
  • Qual a diferença entre porteiro e recepcionista: quais as funções de cada profissional?
    Porteiros e recepcionistas, apesar de terem funções relacionadas à segurança e atendimento possuem diferenças significativas entre as duas profissões. Ambos são profissionais que trabalham em empresas, condomínios, hotéis e outros estabelecimentos que necessitam de atendimento ao público. O porteiro é responsável por controlar o acesso de pessoas e veículos ao local onde trabalha. Ele deve…
  • Guia: 12 lugares onde um porteiro pode trabalhar
    Um porteiro é uma figura importante em muitos locais, incluindo edifícios residenciais, escolas, hospitais e empresas. Eles são responsáveis por controlar o acesso ao local e garantir a segurança dos residentes, alunos, pacientes ou funcionários. Mas onde exatamente um porteiro pode trabalhar? Em geral, um porteiro pode trabalhar em qualquer lugar que precise de controle…
  • Qual a diferença entre porteiro e controlador de acesso?
    Apesar das diferenças entre porteiros e controladores de acesso eles são profissionais que muitas vezes trabalham juntos de forma colaborativa para garantir a segurança em diferentes tipos de estabelecimentos, incluindo prédios comerciais, condomínios residenciais, escolas e hospitais. E embora muitas pessoas acreditem que as funções desses profissionais são iguais, há diferenças significativas entre elas. Um…
  • Quantas horas trabalha um porteiro? Horário de trabalho e regulamentações
    Porteiros são profissionais que trabalham em condomínios e prédios residenciais e comerciais. Eles são responsáveis ​​por controlar o acesso ao prédio, recepcionar visitantes e fornecedores, monitorar a segurança do local e garantir que os moradores e visitantes sejam bem atendidos. No entanto, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a carga horária de trabalho de um…
  • Quem pode ser porteiro e quais os requisitos para a profissão?
    Portaria é uma profissão que tem ganhado destaque nos últimos anos, principalmente em condomínios residenciais e comerciais. Mas para ser porteiro é necessário alguns requisitos básicos. Esse profissional é responsável por controlar o acesso de pessoas e veículos, receber encomendas, correspondências e prestar informações aos moradores e visitantes. De acordo com a legislação brasileira, não…
  • Guia: conheça quais as funções de um porteiro
    Um porteiro é uma figura importante em muitos prédios residenciais e comerciais. Ele é responsável por garantir a segurança dos moradores e visitantes, além de desempenhar outras funções importantes. Neste guia, vamos explorar as várias funções de um porteiro e entender por que ele é uma peça fundamental em muitos locais. Uma das principais funções…
  • Qual o salário de um porteiro? Descubra aqui!
    Um porteiro é um profissional responsável por garantir a segurança e o bem-estar dos moradores e visitantes de um edifício. Essa função é essencial em condomínios residenciais e comerciais, escolas, hospitais, hotéis, entre outros estabelecimentos. O salário de um porteiro pode variar de acordo com a região, o tipo de estabelecimento, a experiência do profissional…
  • Como pegar o seguro-desemprego passo a passo
    Quando um trabalhador é desligado de um emprego sem ter cometido alguma infração grave, ele pode ter acesso ao benefício do seguro-desemprego. Estamos falando de um dos principais direitos trabalhistas da legislação brasileira, implementado para proporcionar apoio financeiro a indivíduos que enfrentam a demissão e o desemprego. É fundamental estar devidamente informado e atualizado acerca…
  • Precisa ter conta na Caixa para receber seguro-desemprego?
    Quando um trabalhador é desligado do seu posto de trabalho sem justa causa (ou seja, sem ter cometido alguma infração grave), ele pode ter direito ao seguro-desemprego. Esse benefício representa um dos principais direitos trabalhistas garantidos pela legislação brasileira, já que visa proporcionar apoio financeiro às pessoas que se deparam de maneira inesperada com a…
  • Como se tornar porteiro: guia passo a passo para ingressar na profissão
    Para quem está procurando uma profissão que ofereça estabilidade e segurança, ser porteiro pode ser uma boa opção. O porteiro é responsável por controlar o acesso de pessoas e veículos em condomínios, empresas e outros locais, além de prestar informações e orientações aos visitantes. Mas como se tornar um porteiro? O primeiro passo para se…

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.