3 Argumentos de venda para proposta de ginástica laboral

Na hora de oferecer uma proposta de ginástica laboral, o profissional da área de educação física ou fisioterapia precisa estar atento aos argumentos que podem ser utilizados ao seu favor na hora da negociação com a empresa almejada.

Por isso, listamos 3 argumentos de venda para proposta de ginástica laboral para te ajudar!

A ginástica laboral é a prática de exercícios em ambiente de trabalho, podendo ser aplicada no começo, meio ou fim do expediente.

Qual a sua promessa de venda de plano de ginástica laboral?

Antes de expor alguns dos argumentos, é preciso ter em mente como funciona a venda de uma proposta de ginástica laboral para empresas para, após, obter êxito com a contratação pleiteada.

Cursos Gratuitos com Certificado da Prime

Entretanto, para que obtenha êxito, o profissional precisa entender como funciona o “Business to Business” mais conhecido como B2B. Esse meio de negociação é firmado quando há duas pessoas jurídicas – diferentemente do B2C onde o cliente final é uma pessoa física.

O importante é compreender que relacionamento precisa ser uma estratégia corporativa, pois para funcionar corretamente ela deve mudar completamente o entendimento que a empresa tem sobre o que é se relacionar com seus principais clientes e interlocutores.

Márcio Oliveira
Publicitário colunista da Revista Exame

Essa metodologia é aplicada para estabelecer uma boa estratégia de venda entre duas empresas, seja de serviços ou produtos, possibilitando a execução do seu plano de ações sem quaisquer empecilhos a serem evitados.

Em notícia publicada pela Exame, fora mencionada a importância de uma sólida relação B2B para prosseguir com a venda, devendo ser realizado um estudo de campo anteriormente à esta.

A denominada experiência do cliente pode ser aplicada também ao caso. Afinal, quando contratado, o profissional precisa buscar a melhor forma de execução da proposta oferecida.

Tal como a pré-venda do plano de ginástica laboral, o pós-venda também é muito importante. Sendo assim, o profissional pode se basear em alguns critérios como, por exemplo:

  1. Promover uma comunicação eficaz;
  2. Oferecer uma experiência personalizada;
  3. Demonstrar o domínio na técnica oferecida ao cliente;
  4. Buscar inovações na implantação/execução dos exercícios;
  5. Planejar as séries com antecedência para organização do plano;

Importante lembrar que a Prime disponibiliza cursos voltados para comunicação e vendas, podendo te auxiliar a negociar com uma empresa! O educador físico/fisioterapeuta precisa entender o processo de compra/venda para facilitar na sua proposta de ginástica laboral.

Quais são os argumentos da proposta de ginástica laboral?

Agora que você já têm um breve resumo sobre o que é B2B, está pronto para avançar de casa:

1. Estar preparado para os empecilhos + expor rápidas soluções em resposta

Na hora de oferecer a proposta de ginástica laboral para uma empresa, é preciso estar preparado para empecilhos a serem impostos na contratação deste.

É de suma importância que o profissional esteja pronto para expor que não há complexidade para a prática dos exercícios dessa técnica.

A ginástica laboral foi elaborada para aplicação durante a jornada de trabalho e, por isso, não há malefícios com a prática da respectiva atividade física.

Entretanto, podem surgir alguns questionamentos como, por exemplo:

“A empresa não disponibiliza espaço para praticar ginástica laboral.”

O ambiente de trabalho não precisa ter um espaço para a ginástica laboral, visto que a prática é realizada pelo colaborador durante a sua jornada de trabalho em local onde exerce sua função.

“A troca de vestimenta para praticar o exercício irá atrapalhar o colaborador.”

Conforme mencionado acima, o colaborador realiza os exercícios durante a sua jornada de trabalho, sem a necessidade de eventual troca de vestuário para que seja praticada a série.

Não há horário disponível para praticar atividade física durante a jornada de trabalho.”

A prática de ginástica laboral é considerada como exercício de curta duração. Com isso, as séries são realizadas entre 10 a 15 minutos, sem afetar a função desempenhada pelo colaborador.

2. Identificar as insuficiências do local + expor como os problemas serão solucionados

Para analisar as insuficiências do local, a Norma Regulamentadora n. 17, esta que aborda sobre ergonomia, pode ser utilizada para identificar os problemas enfrentados na respectiva empresa. Assim, de acordo com o guia, os aspectos analisados são relacionados a:

  • Ergonomia Física: Manuseio de materiais, estações de trabalho, demandas de trabalho e fatores como repetição, postura;
  • Ergonomia Organizacional: Turnos e programação de trabalho, satisfação dos colaboradores, relações interpessoais (trabalho em equipe), supervisão;
  • Ergonomia Cognitiva: Atenção, percepção, considerando a carga mental de trabalho, tomada de decisões, possibilidade de erro, interação entre os humanos com o maquinário.

Com o levantamento dos problemas enfrentados pelos colaboradores, é possível estabelecer os exercícios adequados, quais os objetivos que você como profissional pleiteia para aquele local, e resultados a serem alcançados com a aplicação do plano de ginástica laboral.

Importante ressaltar que a proposta precisa conter algumas informações como o perfil da empresa/colaboradores, horário e duração, local apropriado, estratégias a serem adotadas, objetivos do plano, orientações de saúde, material (caso necessário), avaliação e controle.

3. Estudar a cultura organizacional da empresa + expor as vantagens do seu plano

Cada empresa possui uma cultura enraizada contendo seus valores, hábitos, crenças e regras.

Com isso, é preciso estudar alguns aspectos, assim demonstrado no “Guia de Orientação Técnica Profissional” elaborado pelo Conselho Regional de Educação Física da 4ª Região (CREF4/SP):

  • Observar o local onde está inserido e procurar respeitar o padrão de ações dos indivíduos;
  • Agir com naturalidade e focar no trabalho, com atitudes discretas;
  • Manter conversas sobre assuntos relacionados ao trabalho;
  • Cuidado no relacionamento com os beneficiários, manter no nível da cordialidade profissional;
  • Evite comentários desnecessários sobre o que observa na empresa (ética/sigilo profissional).

Após obter conhecimento da cultura organizacional, a próxima etapa é expor as vantagens do seu plano de ginástica laboral. De acordo com o guia, expor o método de trabalho pode ser uma forma de valorização do profissional que busca contratação, podendo seguir as sugestões:

  • Dispor de forma clara os objetivos a serem alcançados com o plano, bem como, os critérios de avaliação para comprovar os resultados obtidos;
  • Detalhar o passo a passo que deve ser seguido para atingir esses objetivos;
  • Descrever todo processo que será realizado, procedimentos e eventuais alterações em casos de aumento/diminuição de número de colaboradores;
  • Promover treinamento para novos colaboradores para que pratiquem os exercícios propostos;
  • Buscar oferecer um diferencial no serviço oferecido, destacando-se entre os demais da área.
Mulher negociando proposta com cliente
Na hora de apresentar a sua proposta, é importante expor resultados de empresas que adotaram a prática de ginástica laboral.

O que a empresa espera de quem oferece a proposta de ginástica laboral?

Assim como o programa de ginástica laboral é de extrema importância, o profissional também deve corresponder às expectativas da empresa contratante.

Na obra “Ginástica Laboral: Prerrogativa do Profissional de Educação Física” publicada pelo Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) é demonstrado alguns exemplos como:

Apresentação pessoal

Assim como mencionado anteriormente, o estudo da cultura organizacional da empresa é essencial para propor um programa de ginástica laboral nos moldes adequados. Por isso, detalhes como vestimenta e linguagem utilizada podem ser utilizados ao seu favor.

Assiduidade e pontualidade

Ao atuar com transparência, o profissional obtém confiança do cliente que lhe contratou, garantindo a possível continuidade do programa de ginástica laboral. Por isso, a consistência, comprometimento e pontualidade são elementos essenciais para uma bom trabalho.

Relacionamento interpessoal

Na apresentação da sua proposta, é importante que o profissional demonstre sua capacidade de comunicação, atenção por meio de escuta ativa, sociabilidade e facilidade de integração. O respeito de crenças, hábitos e comportamentos, como também, zelo pela segurança e integridade dos colaboradores, são alguns dos exemplos citados na obra supramencionada.

Curso de Ginástica Laboral Grátis

O Curso Grátis de Ginástica Laboral é um curso totalmente gratuito para qualificação profissional, onde o aluno aprenderá todos os conhecimentos fundamentais que a profissão requer, seja você um colaborador interessado em praticar os exercícios, ou profissional da área buscando especialização na técnica abordada.

Curso de Ginástica Laboral

Neste curso você irá aprender ferramentas fundamentais para o seu sucesso na profissão, são elas: história; classificações; a ginástica e a prevenção de doenças ocupacionais; os principais tipos e as causas das doenças ocupacionais; benefícios da ginástica laboral; ginástica laboral preparatória, compensatória, corretiva e de relaxamento; benefícios do alongamento; alongamento no local de trabalho; como implantar um programa de ginástica laboral.

Cursos Gratuitos com Certificado da Prime

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.